"Os dois países têm uma história comum que não se pode apagar", Francisca Van Dunem (Ministra da Justiça Portuguesa)

      As relações económicas entre estes dois países têm vindo a refletir-se como relações duradouras e de benefícios mútuos.

      De acordo com o Diário de Noticias, Angola representou 40% da faturação das empresas portuguesas do setor da construção em mercados externos, no ano de 2015, e representou 30% das vendas de Luxo em Portugal, no ano de 2013 de acordo com a SIC Noticias. 

      Contudo a relação entre Portugal e Angola ultrapassa as simples vendas e compras. Existe uma relação de simbiose entre estas duas potências existindo diversos investimentos de longo prazo de Portugal para Angola e de Angola para Portugal.

 

 

      Estes investimentos não são pequenos investimentos que possam ser ignorados, de acordo com o Banco de Portugal, no segundo trimestre de 2015, contabilizou-se 10,81 milhões de euros investidos em Angola, provenientes de Portugal. Estes investimentos foram e têm vindo a ser desenvolvidos em diferentes áreas da economia angolana. 

      Em 2014, foram contabilizados 4,5 mil milhões de euros em investimentos direto estrangeiro, sendo que desses, 436,9 milhões tiveram origem em Angola.

      Estes dois países tiveram e ainda têm os seus problemas, contudo o esforço mutuo para a criação de laços económicos, com o fim de benefícios de ambas as economias faz desta uma parceria exemplar.