Angola corta mais de 17% nas despesas com Defesa e Segurança em 2015

\r\n

 

\r\n

A previsão orçamental de Angola para o setor da Defesa, Segurança e Ordem Pública, em 2015, era de cerca de 7 milhões de euros, sofrendo um corte de 17,2% justificado pela quebra na cotação do petróleo no mercado internacional. Quando os portugueses têm oportunidade de emigrar para Angola ficam um pouco reticentes em relação a estas questões de segurança, visto que a falta dela é uma realidade constante.

\r\n

 

\r\n

Segundo Maria Peixoto, emigrante portuguesa em Angola

\r\n

"Angola é um país que ainda tem muito para se reestruturar mas que tem um grande potencial!" 

\r\n

 

\r\n

Alguns problemas passam pela discriminação e antipatia, assim como assaltos constantes e portanto o conselho dos moradores é que se deve evitar andar sozinho principalmente nos bairros problemáticos, nem se deve tentar resistir a eventuais assaltos. 

\r\n

 

\r\n
\r\n
 
\r\n
\r\n

De forma a garantir a segurança, muitos emigrantes portugueses optam pela residência em condomínios fechados onde existe maior vigilância.

\r\n

 

\r\n

 

\r\n

Rede Social Portugal-Angola

\r\n
REGISTE-SE. É GRATUITO!
\r\n
\r\n

Ainda que a capital, Luanda, tenha maior número de ofertas de emprego, é importante destacar que as regiões onde existe um custo de vida inferior e com maior segurança são: Benguela, Lubango e Porto Amboim, ou seja, regiões com melhor qualidade de vida.

\r\n

Quando se quer emigrar para Angola é preciso ter motivação e espírito aberto. Nomeadamente, pode-se negociar o contrato de trabalho, de forma a incluir regalias médicas, transporte e /ou mesmo habitação.

\r\n

Fonte: Visão